"Este Blog foi criado para aproximar aqueles que se sentem indignados ao presenciar a injustiça, ocorra ela em qualquer parte do planeta. Ele foi criado para aqueles
que acreditam que o conhecimento crítico e o combate a alienação é a libertação do homem e a transformação do mundo. Sinta-se indignado, proteste, lute,
liberte-se, liberte o outro, transforme o mundo..." Prof. Claudenir

Liberté - Igualité - Fraternité / Revolução Francesa - 1789

Liberté - Igualité - Fraternité / Revolução Francesa - 1789
A Liberdade Guiando o Povo - Eugéne Delacroix

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Planeta Terra

A Terra

Planeta Terra

A Terra é um dos nove planetas que giram em torno do Sol, que por sua vez, é somente uma dentre os aproximadamente 100 bilhões de estrelas de nossa galáxia - a Via Láctea. A Terra é o único planeta que se conhece a existência de vida. Isto é possível porque a Terra está à distância certa do Sol. Se estivesse mais perto, seria muito quente para a vida, e, se estivesse mais longe, o frio seria insuportável. Além disso, a Terra é o único planeta em que existe água em grande quantidade.

Sua atmosfera filtra parte das radiações solares prejudiciais, e também protege o planeta contra os impactos dos meteoritos. A Terra é formada por quatro camadas principais: o núcleo interno, o núcleo externo, o manto e a crosta. No centro do planeta, está o núcleo interno sólido, com temperatura em torno de 4.000° C. O calor do núcleo interno faz com que o material do núcleo externo líquido e do manto plástico circule em correntes de convecção. Acredita-se que estas correntes de convecção dão origem ao campo magnético da Terra, que se estende no espaço formando a magnetosfera.

clip_image002

Aspectos Físicos da Terra

A maior parte da superfície da Terra (aproximadamente 70%) está coberta de água. O Oceano Pacifico sozinho ocupa 30% desse total. A parte sólida está distribuída em sete continentes, que são (do maior para o menor): Ásia, África, América do Norte, América do Sul, Antártida, Europa e Oceania.

As feições da superfície sólida são extremamente variadas. Entre as mais notáveis estão as cadeias montanhosas, os rios e os desertos. As maiores cadeias de montanhas – Himalaia inclui a montanha mais alta do mundo, o monte Everest (8.848 m). Os rios mais longos são o Nilo, na África (6.695 km), e o Amazonas na América do Sul (6.437 km). Os desertos ocupam em torno d e20% da extensão total das terras emersas. O maior é o Saara, que cobre cerca de um terço da África. As feições da superfície podem ser representadas de várias maneiras. Somente um globo pode representar corretamente áreas, formas, tamanhos e direções, porque sempre há distorção quando uma superfície esférica – a da Terra, por exemplo – é projetada na superfície plana de um mapa. Cada tipo de projeção é, portanto, um ajuste: mostra corretamente alguns aspectos, mas distorcem outros. Até a cartografia por satélite é incapaz de produzir mapas completamente precisos, ainda que mostre os aspectos da superfície terrestre com grande clareza.

clip_image004

Tempo Geológico

A Terra formou-se por volta de 4.600 milhões de anos atrás, a partir de uma nuvem de poeira e gases à deriva no espaço. Os minerais densos afundaram e se concentraram no centro, e os mais leves formaram uma fina crosta rochosa. Contudo, as primeiras formas de vida conhecidas – bactérias e algas azul-esverdeadas – não apareceram até aproximadamente 3500 milhões de anos atrás, e foi só há 570 milhões de anos que as plantas e animais mais complexos começaram a desenvolver-se. Desde então, milhares de espécies de plantas e animais evoluíram; algumas prosperaram e outras, como os dinossauros, desapareceram. Tal como as espécies que a habitam, a Terra está continuamente mudando. Os continentes aproximaram-se de suas localizações atuais há mais ou menos 50 milhões de anos, mas continuam flutuando lentamente sobre a superfície, e cadeias montanhosas como o Himalaia – que começou a formar-se há 40 milhões de anos – estão sendo construídas e destruídas continuamente. Também o clima está sujeito a mudanças: a Terra passou por uma série de idades do gelo e por períodos glaciais (o mais recente ocorreu há aproximadamente 20 mil anos) intercalados com períodos mais quentes.

clip_image006

A Crosta Terrestre

A crosta terrestre é a camada sólida externa da Terra. Inclui a crosta continental (mais ou menos 40 km de espessura) e a crosta oceânica (aproximadamente 6 km de espessura). A crosta e a camada superior do manto formam a litosfera. A litosfera é constituída por placas semi-rígidas que derivam umas em relação a outras sobre a atenosfera subjacente (uma camada parcialmente fundida do manto). Este processo é conhecido como tectônica de placas.

Quando duas placas se separam, forma-se rifts (fendas) na crosta. No meio dos oceanos, esse movimento resulta na expansão dos fundos oceânicos e na formação das cadeias oceânicas; nos continentes, a expansão da crosta pode formar rift valleys (vales de afundamento). Quando as placas se movem uma em direção à outra, pode ocorrer subducção: uma das placas é forçada a mergulhar sob a outra. No meio dos oceanos, esse processo dá origem às fossas oceânicas, atividade sísmica e arcos de ilhas vulcânicas. As montanhas podem formar-se onde há subducção da crosta oceânica sob a crosta continental, ou onde os continentes colidem.

As placas podem também deslizar uma ao longo da outra – como ao longo da falha de Santo André, por exemplo. A tectônica de placas ajuda a explicar a deriva continental, teoria segundo a qual os continentes reuniram - se há 175 milhões de anos para formar uma única massa continental chamada Pangéia, que posteriormente se fragmentou.

clip_image008

Falhas e Dobras

O movimento contínuo das placas da crosta terrestre pode comprimir esticar ou quebrar os estratos rochosos, deformando-se e produzindo falhas e dobras. Uma falha é uma fratura numa rocha, ao longo da qual ocorre deslocamento de um lado em relação ao outro. O movimento pode ser vertical, horizontal ou oblíquo (vertical e horizontal). As falhas ocorrem quando as rochas são submetidas à compressão ou tensão. Em geral, as falhas ocorrem em rochas duras e rígidas, que tendem a quebrar-se e não a dobrar-se. As menores falhas ocorrem em cristais minerais individuais e são de tamanho microscópico, enquanto a maior delas - o Great Rift Valley (a Grande Fossa), na África – tem mais de 9 mil km de comprimento. O movimento ao longo das falhas geralmente causa terremotos. Uma dobra é a curvatura de uma camada rochosa causada por compressão. As dobras ocorrem nas rochas elásticas, que tendem a dobrar-se mais do que a quebrar-se. Os dois tipos principais de dobras são as anticlinais (os flancos convergem para cima) e as sinclinais (os flancos convergem para baixo). As dobras variam em tamanho, de uns poucos milímetros de comprimento às cadeias montanhosas dobradas com centenas de quilômetros de extensão. Além de falhas e dobras, outros aspectos associados com deformações das rochas são os boudins, os mullions e fraturas escalonadas (em échelon).

clip_image010

Origem das Montanhas

Os processos envolvidos na formação das montanhas – a orogêneses – ocorrem como resultado do movimento das placas crustais. Há três tipos principais de montanhas: as de origem vulcânica, as montanhas de dobramento e as montanhas por falhamento ou de blocos. A maioria das montanhas vulcânicas forma-se ao longo dos limites das placas, onde estas de aproximam ou se separam, e a lava e os detritos são ejetados em direção à superfície terrestre. A acumulação de lava e material piroclástico pode formar uma montanha em torno da chaminé de um vulcão. As montanhas por dobramento se formam onde as placas se encontram e provocam o dobramento e soerguimento das rochas. Onde a crosta oceânica se encontra com a crosta continental menos densa, a crosta oceânica é empurrada sob a crosta continental. A crosta continental é então dobrada pelo impacto e se formam montanhas de dobramento, como os Apalaches na América do Norte. As cadeias dobradas formam-se também quando se encontram duas áreas de crosta continental. O Himalaia, por exemplo, começou a formar-se quando a Índia colidiu com a Ásia, dobrando os sedimentos e parte da crosta oceânica entre as duas placas. As montanhas por falhamento de blocos formam-se quando um bloco de rocha é soerguido entre duas falhas como resultado de compressão ou tensão na crosta terrestre. Com freqüência, o movimento ao longo das falhas ocorre gradualmente durante milhões de anos. Contudo, duas placas podem deslizar bruscamente ao longo de uma linha de falha – a falha de Santo André, por exemplo -, provocando terremotos.

1º DE MAIO - DIA DE LUTA

1º DE MAIO - DIA DE LUTA
Conflito na Serra Pelada - Sebastião Salgado

DIA DAS MÃES - UM GRANDE DIA

DIA DAS MÃES - UM GRANDE DIA

08 DE MARÇO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

08 DE MARÇO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

UMA REFLEXÃO SOBRE O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

PENSAMENTO VIVO

"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele ou por sua origem ou sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender. E se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o seu oposto. A bondade humana é uma chama que pode ser oculta, jamais extinta." Nelson Mandela

“Nós, que sobrevivemos aos campos, não somos as verdadeiras testemunhas. Esta é uma idéia incômoda que passei aos poucos a aceitar, ao ler o que os outros sobreviventes escreveram, inclusive eu mesmo, quando releio meus textos após alguns anos. Nós, sobreviventes, somos uma minoria não só minúscula, como também anômala. Somos aqueles que, por prevaricação, habilidade ou sorte, jamais tocaram o fundo do poço. Os que o fizeram, e viram a face das Górgonas, não voltaram, ou voltaram mudos”

Primo Levi, escritor italiano, foi um dos 23 sobreviventes entre os 649 judeus que foram encaminhados para Auschwitz com ele em abril de 1944.

A Terra em 100 Anos

Loading...

A FORMAÇÃO DA TERRA

Loading...

O UNIVERSO MACROSCOPICO E O MICROSCOPICO

Loading...

O Universo que existe em você, e você que existe no universo

Loading...

LOVE IS LOVE

LOVE IS LOVE
Reflita sobre o mundo

Simone de Beauvoir

Simone de Beauvoir
Pense sobre o mundo